As folhas e a brisa do outono…

O que aprender com o outono?  Época em que as folhas das árvores começam a cair, os frutos se desprendem dos galhos, e lá se vão… a natureza se prepara para um pequeno repouso,  uma pausa boa e necessária no ciclo da vida.

Vamos aproveitar este período do ano para deixar cair as folhas antigas das árvores de nossas vidas, deixar para trás os sofrimentos e dificuldades;  deixar que caiam pelo solo nossas ações que já se foram,  que os pensamentos do passado sejam levados pelo vento….. vamos aproveitar para nos desprendermos das antigas ilusões, como os frutos se desprendem facilmente de seus galhos. Fiquemos mais leves e com tranquilidade para relaxar, repousar e deixar as folhas velhas e cansadas se retirarem. Na pausa natural deste período do ano, a natureza nos dá uma dica: deixe que saiam de você as folhas que não são mais necessárias: o ressentimento, o medo, a indecisão, a falta de fé. Transforme as folhas das experiências que você já viveu em adubo rico para que novas árvores possam nascer, e nelas cresçam folhas de  confiança,  coragem, perdão, amor; e também muitas flores de bondade.

Respire profundamente e relaxe com a brisa amena do outono…..  contemple as cores desta estação: variações de azul celeste, em contraste com as folhas multicoloridas que se preparam para deixar suas árvores. Contrastes multicoloridos lindos e cheios de luminosidade permeiam esta estação, mostrando que a partida das folhas antigas está repleta de beleza e encanto; nas cores, nas nuances da luz do sol, no abraço do vento. Não há perda; é apenas  um  preparo  para a renovação natural da vida!  E isto chega de forma perfeita e muitíssimo bela!

 

A força da luz do Sol

Em seu percurso ao redor do Sol durante um ano (translação), a Terra recebe os raios solares de maneira distinta durante as várias estações. Em determinados momentos desse movimento, temos os solstícios e equinócios.

No equinócio de outono, como na primavera, a luz solar incide de maneira igual sobre os dois hemisférios terrestres; o dia e a noite tem a mesma duração (12 horas). No caso do outono, esta luminosidade solar vai diminuindo dia após dia,  até que no solstício de inverno temos o dia mais curto do ano e a noite mais longa. É um período de transição do verão para o inverno.

Contemplar, sentir e aprender com a natureza. Nosso corpo e nossos pensamentos estão intimamente ligados aos fenômenos que acontecem em nosso planeta: os movimentos cósmicos.

 

Yoga e a estação do outono1

Através  de práticas naturais que englobam todos os aspectos da vida humana, a ciência do yoga nos ajuda a perceber,  aprender  e principalmente respeitar nossa querida natureza. Somos parte dela lembram-se?

 

Sinais do outono para reflexão

Equilíbrio dia e noite iguais durante o equinócio

Procurar o equilíbrio entre as atividades diárias e o repouso à noite.  Desenvolver a atenção, enquanto age, e o relaxamento para um descanso adequado.

Desapego as folhas caem e os frutos são colhidos

Vamos deixar o passado ir embora tranquila e harmoniosamente; sem querer agarrá-lo para sempre.

Introspeção a luminosidade solar vai diminuindo durante os dias.

Com a diminuição da luz solar durante o dia,  a energia que na primavera e verão atuava predominantemente para fora,  manifestando-se com maior vigor  externamente,  agora encontra uma força cósmica diferente, e passa a recolher-se  internamente.  Aproveitemos para reorganizar nossa energia interior.

Transição do verão para o inverno

Pensar na mudança como uma experiência profunda e necessária. Períodos de transição às vezes são difíceis, mas o que podemos aprender com isso é muito valioso. Se compreendermos a importância da mudança para que novos e afortunados ciclos possam chegar depois, passaremos com calma e tranquilidade seja qual for o desafio que se apresente em nossas vidas.

Beleza: as cores do céu, a luz do sol, os tons multicoloridos das folhas

Nosso planeta e tudo o que nele existe tem uma beleza própria; mas para percebermos isso temos que parar, observar e sentir a natureza, que fala conosco sem cessar. O brilho, as cores, as brisas aconchegantes são presentes da essência divina para nós!

Sentir-se bem

Esta é uma boa época para dar uma paradinha na rotina e contemplar. Se estiver na rua, pare e olhe as cores do céu; o formato das árvores, a luz do Sol. São poucos os momentos que podem mudar o seu dia. Sinta o vento em seu corpo.

Tire um dia da semana e faça um passeio em algum lugar para que possa estar em contato com a natureza. Não precisa ser necessariamente longe; talvez em uma praça, ou em um parque próximo.  Então, respire com muita tranquilidade e ouça os sons da natureza: observe e sinta este ambiente. Isto poderá trazer uma energia de calma e bem estar. Algo bem simples, com benefícios para sua mente cansada do dia a dia.

 

Reconhecendo o corpo e cuidando dele

A estrutura do nosso corpo interage com a energia vital: no yoga chamamos essa energia de prana; o equilíbrio desta corrente energética depende do que fazemos com este corpo, como o tratamos e o que oferecemos para que possa existir.  Com a prática constante do yoga,  o funcionamento vital do organismo passa a  trabalhar  com tranquilidade,  o que gera saúde e bem estar.

Conversemos com nosso corpo físico: como estamos nos sentindo; o que nossa estrutura física está nos dizendo através de todo o nosso organismo? Sinto alguma dor; peso; desconforto? Pare novamente, feche seus olhos e procure identificar o ponto onde sente algum desconforto. Respire nesse ponto. Relaxe por alguns instantes e depois pense como resolverá o problema. Nosso corpo é nosso lar terrestre, procure deixá-lo sempre em boas condições para que possa habitá-lo!

 

Mente

Quando falamos em equilíbrio, temos que pensar necessariamente na tríade corpo, mente e espírito. O tão procurado equilíbrio começa no campo mental: primeiro pensamos; depois elaboramos ideias que se materializam. Conhecer e elaborar com consciência os nossos pensamentos pode nos proporcionar um desenvolvimento vital com plenitude e paz.

 

Meditação

Ao praticar pranayama e asanas  estamos nos preparando para meditar.  Temos muitos pensamentos a todo instante; isto gera um ruído energético e traz desarmonia física e mental.

 

­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­_____________________________________________________________

É simples começar:  escolha uma postura  confortável sentada; a coluna reta sem tensão,  feche lentamente os olhos; deixe os braços e mãos relaxados; observe sua respiração por alguns instantes e acalme sua mente.  Imagine as folhas multicoloridas do outono caindo calma e tranquilamente, sinta a serenidade da brisa em seu corpo por algum tempo….. depois permaneça em silêncio.  Pronto, você já deu um passo para iniciar sua prática de meditação.

_____________________________________________________________

 

Estes poucos minutos de silêncio trazem imenso benefício; seu corpo poderá se retirar da correria diária e sua mente poderá descansar eliminando pensamentos de preocupação, ansiedade e medo.  Mas há um detalhe muito importante: estes minutos de silêncio devem se tornar um hábito. Desta forma, você estará enviando uma mensagem constante para seu cérebro, que aprenderá a decodificar o bem estar e a tranquilidade advindos da prática diária. Então, os efeitos começam a se manifestar naturalmente e os caminhos para que você desenvolva a prática meditativa virão ao seu encontro.

 

Prática de Hatha Yoga

Sequência de Asanas

*Essa sequência de asanas para o outono pode ser realizada por aqueles que já tem familiaridade com a prática da yoga

Estenda no solo um tapete ou colchonete em lugar tranquilo e bem ventilado.

 

  • Sente-se com as pernas juntas e as mãos  unidas junto ao tórax.
  • Inspire profundamente e ao expirar leve as costas ao solo ; por último separe as mãos e relaxe em savasana. Sinta seu corpo  em contato com o solo em repouso. Respiração livre por alguns instantes.
  • Inspire e levante a bacia mantendo a posição com as mãos. (viparita)
  • Expire e leve os joelhos até a testa
  • Inspire e eleve as pernas formando com o tórax uma linha reta (sarvangasana)
  • Expire e desenrole a coluna até que os pés alcancem o solo, mantendo os joelhos dobrados e as pernas separadas na direção dos quadris (ponte)
  • Inspire e erga as costas e quadris alongando os braços para trás
  • Expire e traga os braços ao longo do corpo, enquanto desenrola as costas para que alcancem o solo novamente.
  • Inspire alongando as pernas e os pés e expire elevando o queixo e o tórax que deverá ficar arqueado, enquanto cotovelos e antebraços se mantém no solo; os braços são naturalmente erguidos também.
  • Relaxe por alguns instantes em savasana.
  • Sente-se em sukasana e pratique a respiração alternada.

 

 

Poema inspirativo

Ordena-me, e eu colherei meus frutos, para trazê-los em cestas cheias a teu pátio, embora alguns já estejam passados e outros ainda verdes.

O outono arca-se com o peso dos frutos maduros, e na sombra ouve-se a flauta melancólica do pastor.

Ordena-me, e eu embarcarei no rio. O inquieto vento de março agita languidamente as ondas, levantando murmúrios.

O jardim já entregou tudo o que possuía, e com a hora cansada do entardecer chega o chamado de tua casa na margem do poente.

                                              Rabindranath Tagore

 

426381_237943219634012_1004328538_n

 

Gratidão por essa estação!

 

Por tudo que recebemos

Os frutos colhidos

O equilíbrio Cósmico

O vento que sopra em nosso planeta

As novas oportunidades

A energia que tudo transforma

A  era que está chegando…..

 

Obrigada!

Namaste!

 

Elma Martins

Elma Martins é professora de Hatha-Yoga formada na linha Yoga Clássico, praticante das técnicas de Kriya Yoga da Self-Realization Fellowship, e consultora sobre práticas de Yoga na Escola Arte de Ser. Contato: elma.mmartins@gmail.com

 

Últimos posts por Blog da Cultura da Paz (exibir todos)

Comments

comments