Pújá  vem do sânscrito e significa: adoração; reverência, honra, ou culto.

Na Índia, este ritual é realizado para oferecer gratidão às divindades, pessoas importantes,  ilustres,  ou convidados  especiais. Pode também ser praticado quando se visita  alguém;   geralmente leva-se  um pújá  (flores, incenso ou outro presente), que simboliza a  gratidão  por  ser recebido por aquela pessoa, por ter sido convidado para entrar naquela casa.

Pújá é gratidão;  agradecer amorosamente a Deus por todas as dádivas que Ele nos oferta durante toda a nossa vida. Desde a prática diária realizada em casa, até as cerimônias nos templos e festivais de grande porte,  a essência de um Pújá é adoração, gratidão ao Divino.

Traditional-Puja-Plate

Oferecer com amor é realizar um pújá;  é  importante compreender que se trata de  uma prática espiritual. Os elementos externos ofertados, são símbolos da verdadeira oferenda: a mente e a força interior. Há uma transmutação dos elementos materiais em energia sutil, cujo objetivo é alcançar a união com o espírito (yoga).

A energia condutora do pújá é sankalpah, que significa resolução, livre arbítrio, imaginação, e está ligada à intenção do praticante; é uma determinação interior, uma afirmação interna com força, sem dúvida, capaz de transformar aspectos da personalidade.

O pújá conduz a um bom pensamento e, consequentemente, à prática de boas ações. Deve ser realizado no dia a dia, como exercício para libertação da mente de todas as armadilhas de maya,  a ilusão cósmica.

Onde você for: leve a energia de gratidão ao Universo, o pensamento positivo,  e viva tal experiência interiormente, manifestando essa energia com as pessoas e acontecimentos em sua vida.

Muitas casas na Índia têm um altar (santuário) reservado – com imagens de várias divindades.  O pújá diário é um pequeno culto a determinadas divindades, com oferta de água, luz (representada pelo fogo), incenso ou frutas. Pode ser realizado com qualquer oferta disponível.

Diwali Puja Vidhi - Narak Chaturdashi Puja - Diya and Ganesh Lakshmi Puja Vidhi

Quando realizado em templos, há geralmente vários pújás durante o dia, e são cantados constantemente hinos religiosos.

As oferendas (Prasad) a Deus (em casa ou no templo): arroz, flores, incenso, ou algum objeto que toque o coração de quem está oferecendo fazem parte da cerimônia. Mas a verdadeira oferta é o amor incondicional ao Divino, através da purificação da mente e do coração. Esta é a essência de Prasad.

Elementos essenciais a serem compreendidos na realização de um pújá:

Invocação de uma deidade (o pensamento firme na energia Divina)

Purificação física e mental dos participantes do pújá

Purificação física e do campo sutil do ambiente onde a cerimônia será realizada

Espiritualidade

Gratidão sem interesse

Oferecer com amor

Mantras (vibração cósmica)

 

Etapas do Pújá:

Cada etapa é seguida de um  mantra ou cântico

Acender a lamparina: a luz da lamparina  representa a luz da libertação dos sentidos, a luz que traz prosperidade, saúde, abundância; afastando as trevas, a ignorância.

Oferecer flores:  oferecer flores à luz da lamparina para que sua chama remova o karma passado.

Ablução de água: purificação dos participantes e do ambiente onde o pujá está sendo realizado.

Saudação aos Mestres

Meditação

Pranayama (alternado), visualizando a energia vital

Um asana simples que será oferecido no pujá

 

Significados:

Pújá – adoração (ritual); cerimonial, honra, geralmente envolvendo a imagem de uma deidade.

Pujari – aquele que realiza rituais de adoração (pújá).

Prasada – alimentos ou qualquer presente que foi oferecido pela primeira vez no culto ou a um santo.

Prana – energia vital

Namastê!

Elma Martins

Professora de Hatha Yoga

elma.mmartins@gmail.com

 

Quer conhecer mais sobre a cultura indiana? Temos muitos títulos a respeito. Conheça alguns:

Leia, também, o nosso artigo sobre o Diwali, uma das maiores celebrações do país oriental: http://www.culturadapaz.com.br/diwali-o-festival-das-luzes/

Comments

comments