O Bhagavad Gita é a mais apreciada das escrituras da Índia, a escritura das escrituras. É a Bíblia ou Sagrado Testamento hindu, o livro em que todos os mestres confiam como fonte suprema de autoridade das escrituras. Bhagavad Gita significa “Cântico do Espírito”, a comunhão divina da percepção da verdade entre o homem e seu Criador, os ensinamentos do Espírito através da alma, o cântico que deve ser ininterruptamente cantado.

A doutrina panteísta do Gita é a de que Deus é tudo. Seus versículos celebram a descoberta do Absoluto, do Espírito que está além da criação, oculto também como a Essência de toda manifestação. A Natureza, com sua variação infinita e leis inexoráveis, é um aspecto evolutivo da Realidade Singular por meio de uma ilusão cósmica: maya, a “Medidora Mágica” que faz com que o Um adquira a aparência de muitos abraçando a própria individualidade – formas e inteligências que existem aparentemente separadas de seu Criador. Da mesma maneira que a pessoa que sonha pode dividir sua consciência única em muitos seres oníricos dentro de um mundo onírico, assim também Deus, o Sonhador Cósmico, a partir de Seu próprio Ser Único diversificou Sua consciência em todas as manifestações cósmicas, dotadas de alma individualizada e de um ego para sonharem sua existência personalizada dentro do drama do Sonho Universal ordenado pela Natureza.

O tema principal de todo o Gita é que é preciso ser um adepto de sannyasa, alguém que renuncia a esse sentido de ego arraigado por meio de avidya, a ignorância, no ser físico do homem. Pela renúncia a todos os desejos que surgem do ego e de seu ambiente e que causam a separação entre o ego e o Espírito e pela reunião com o Sonhador Cósmico na meditação extática da yoga, o samadhi, o homem se destaca das forças compulsivas da natureza que perpetuam a ilusória dicotomia entre o Eu e o Espírito e por fim as dissolve. No samadhi, a ilusão do sonho cósmico termina e o ser onírico em êxtase desperta na unidade com a pura consciência cósmica do Ser Supremo – a Bem-aventurança sempre-existente, sempre-consciente e sempre-nova.

Essa realização divina não pode ser alcançada com a mera leitura de um livro, mas somente ao viver todos os dias na verdade referida acima de que a vida é um filme onírico de variedades, cheio das incertezas da dualidade – vilanias do mal e heroicas aventuras da bondade – e, pela profunda meditação iogue, unindo a consciência humana com a consciência cósmica de Deus. É assim que o Gita exorta o buscador a praticar a ação correta – física, mental e espiritual – para alcançar essa meta. Viemos de Deus e nosso destino final é voltar para Ele. O fim e o meio para alcançar esse fim é a yoga, a ciência imemorial da união com Deus.

O Gita é tão abrangente como roteiro espiritual que dizem ser a essência dos volumosos e difíceis quatro Vedas, dos 108 Upanishads e dos seis sistemas da filosofia hindu. Apenas pelo estudo e compreensão intuitivos desses volumes ou então pelo contato com a Consciência Cósmica é que se pode compreender plenamente o Bhagavad Gita. Sem dúvida, as verdades essenciais subjacentes a todas as grandes escrituras do mundo podem achar uma harmonia comum na infinita sabedoria dos meros 700 concisos versículos do Gita.

Todo o conhecimento do cosmos está condensado no Gita. Sendo supremamente profundo e, todavia, revestido de linguagem reveladora, de beleza e simplicidade reconfortantes, o Gita tem sido compreendido e aplicado em todos os níveis das atividades e do empenho espiritual do ser humano – sendo abrigo de um imenso espectro de seres humanos com suas diversificadas naturezas e necessidades. Em qualquer ponto que se esteja no caminho de volta para Deus, o Gita lançará luz sobre esse segmento da jornada.

Veja também: A Batalha entre o Ego e a Alma

Deus Fala com Arjuna – O Bhagavad Gita – Volume 1

Através dos séculos, a mensagem sublime e enobrecedora do Bhagavad Gita tem sido reverenciada por buscadores da verdade tanto do Oriente quanto do Ocidente. No entanto, seu significado mais profundo, encoberto pela alegoria, permanecia obscuro.

Em Deus Fala com Arjuna – uma tradução e interpretação inovadoras desta antiga escritura –, Paramahansa Yogananda revela as verdades psicológicas, espirituais e metafísicas mais profundas do Gita e explica o caminho equilibrado da meditação e da ação correta.

O comentário de Sri Yogananda – uma crônica completa da viagem da alma para a iluminação – constitui um roteiro minucioso sobre a vida espiritual e nos mostra como criar para nós mesmos uma vida plena de integridade espiritual, serenidade, simplicidade e alegria.

Os tópicos incluem:

– Um exame profundo da origem, evolução e natureza do cosmos, que oferece também descrições dos planos de existência para além do universo físico.

– A explicação sobre por que e como a prática da meditação iogue refina progressivamente a consciência e permite que o ser humano experimente a alegria transcendental da alma.

– Impressionantes correlações entre a visão da realidade contida nos Vedas e as descobertas da ciência moderna.

– Aspectos sutis da Kriya Yoga e como essa antiga ciência da meditação acelera a evolução espiritual do ser humano, além de muitos outros temas.

Comments

comments