A abordagem Pikler para crianças de 0 a 3 anos foi desenvolvida pela médica húngara Emmi Pikler, que somou a sua experiência de dez anos como médica de família ao trabalho realizado na instituição de acolhimento situada na Rua Lóczy (em Budapeste) para desenvolver um trabalho profissional de excelente qualidade. Esta abordagem está embasada no cuidado com a saúde física, no respeito à individualidade de cada criança e tem como princípios fundamentais a relação privilegiada entre mãe/educadora e bebê e o desenvolvimento da autonomia por meio do brincar livre.

abordagem-pikler

Divulgar a Abordagem Pikler, que surgiu como uma prática pedagógica logo após a II Guerra Mundial (1946) em uma instituição de acolhimento como uma resposta positiva à adversidade, é provocar discussões e reflexões sobre as possíveis adaptações dessa abordagem à complexa realidade da educação infantil brasileira. Este é o objetivo do Abordagem Pikler – educação infantil.

O livro contém artigos de Ana Tardos, filha de Emmi, e de Judit Falk, a maior colaboradora da pediatra durante anos. Foi traduzido por membros da Rede Pikler Brasil, que contém profissionais da primeira infância e promove grupos de estudo para o aprofundamento da abordagem, bem como responde pela sua divulgação no país.

Boa leitura!

Leia também: http://www.culturadapaz.com.br/educar-crianca-de-0-a-3-anos-exige-sensibilidade-e-delicadeza/

Apresentação do livro

*Por Pepa Òdena
abordagem-pikler

Escutar as meninas e os meninos pequenos e entendê-los quando ainda não se expressam por meio da palavra. Saber responder aos seus pedidos na medida adequada, dando prioridade a acolher as iniciativas da criança ao invés de satisfazer a vontade do adulto na relação mútua. Respeitar sua intimidade e ter em conta suas demandas, sobretudo no que se refere ao contato físico nas atividades da vida cotidiana como a alimentação, a higiene, o vestir e o despir, sem intromissão “nem doce violência” por parte da pessoa adulta. Acreditar nas suas capacidades de crescer e de adquirir, de forma autônoma, as posturas e os movimentos essenciais para a vida. Valorizar a autonomia, não como a aquisição de um aprendizado precoce, mas como a capacidade de assumir a responsabilidade pelos próprios atos inciados por ela, sem a intervenção direta dos adultos, atividade voltada para o prazer e as vontades de agir típicas do desenvolvimento da criança  que cresce sadia num mundo que a acolhe. Encorajar e esperar a sua participação em tudo aquilo que lhe compete. Consolidar sua segurança afetiva sobre a base de um relacionamento pessoal caloroso e terno. Eis aqui alguns dos princípios que guiam o pensamento e a prática educativa de Lóczy e também de outras instituições e pessoas que têm valorizado estes princípios e aprofundado seu desenvolvimento.

A revista Infância tem publicado, ao longo dos anos, diversos artigos do Instituto Lóczy de Budapeste, cumprindo o objetivo do Grupo Pikler Lóczy, da Associação de Professores Rosa Sensat, de difundir o pensamento e a obra iniciada pela grande pediatra húngara Emmi Pikler, ampliada e consolidada pelas suas continuadoras, entre as quais cabe destacar a pediatra Judit Falk e a psicóloga Anna Tardos.

Professoras de educação infantil e outros profissionais da primeira infância têm mostrado grande interesse pelo enfoque educativo das crianças pequenas, formulado pelo Instituto Lóczy e especialmente pela sua vertente de educação em coletividade. A demanda de informação, de bibliografia e de experiências na linha pedagógica pikleriana e, ao mesmo tempo, o fato de estarem esgotadas as revistas mais antigas, nas quais publicávamos seus artigos nos motivaram a fazer uma recompilação reeditando alguns artigos. Esperamos que ajudem a refletir e a inspirar uma boa prática educativa tanto aos profissionais que estão se formando quanto aos que há tempos se dedicam a acompanhar o desenvolvimento das crianças pequenas, tarefa nunca suficientemente valorizada.

 

abordagem-piklerAbordagem Pikler Educação Infantil

A abordagem Pikler para crianças de 0 a 3 anos foi desenvolvida pela médica húngara Emmi Pikler que somou a sua experiência de dez anos como médica de família ao trabalho realizado na instituição de acolhimento situada na Rua Lóczy em Budapeste e a observação e o registro minucioso do desenvolvimento de bebês para desenvolver um trabalho profissional de excelente qualidade. Esta abordagem está embasada no cuidado com a saúde física e no respeito com a individualidade de cada criança e tem como princípios fundamentais a relação privilegiada entre mãe/educadora e bebê e o desenvolvimento da autonomia através do brincar livre.
Divulgar a Abordagem Pikler que surgiu como uma prática pedagógica, logo após a II Guerra Mundial (1946), em uma instituição de acolhimento como uma resposta positiva à adversidade é provocar discussões e reflexões sobre as possíveis adaptações dessa abordagem à complexa realidade da educação infantil brasileira. É esse o objetivo desta publicação. Boa leitura! Clique aqui para adquirir o livro!

 

Outros títulos sobre a Abordagem Pikler em português:

As origens do brincar livre

É por meio do brincar que a criança experimenta o mundo e se desenvolve, por isso ele é tão vital quanto respirar. Neste livro, especialistas na Abordagem Pikler apresentam os principais conceitos para o desenvolvimento integral das crianças: estabelecimento de vínculo, respeito ao movimento livre e autonomia, com foco no brincar. Para isso, sugerem práticas que favoreçam as habilidades inatas dos bebês, como o preparo de um ambiente para a exploração, a seleção e organização dos brinquedos para cada fase e dão dicas sobre a postura do adulto, junto da criança, enquanto a brincadeira acontece.
Quem fez a tradução técnica e respondeu pela publicação do livro foi o Grupo Educar 0 a 3, situado em São Paulo e que tem por objetivo desenvolver consciência quanto ao significado e importância da infância junto a famílias e escolas, “As origens do brincar livre” é um dos poucos títulos em português que traz os conceitos e aplicações da Abordagem Pikler no cuidado de crianças na primeiríssima infância.

 

vínculo, movimento e autonomia

A partir de suas vivência com Formação Continuada de Profissionais de Educação Infantil e de seu envolvimento com a Abordagem Pikler, a autora compartilha com o leitor reflexões sobre o papel do educador de crianças pequenas e os pontos essenciais para promover o desenvolvimento físico, mental e emocional nos primeiros anos de vida, principalmente em ambiente coletivo.
O livro apresenta uma síntese da abordagem que Emmi Pikler construiu durante o período em que atuou como médica de família e diretora de um abrigo de crianças até 3 anos, no final da Segunda Guerra Mundial, em Budapeste. Essa pedagogia baseia-se no reconhecimento do bebê como um indivíduo capaz desde o nascimento, na valorização do vínculo afetivo, na liberdade de movimentos e no desenvolvimento da autonomia.
Neste título estão também presentes: reflexões sobre a consciência corporal do educador, com base na Eutonia – pedagogia terapêutica com aplicação nas áreas da educação, saúde e artes, que auxilia a reintegração da imagem corporal; ideias do filósofo e educador Rudolf Steiner a respeito da importância do movimento, do equilíbrio, do tato e do sentido vital na primeiríssima infância; e experiências de atividades não dirigidas desenvolvidas pela autora em seu espaço de pesquisa, formação e oficinas: o Ateliê Arte, Educação e Movimento.

 

 

 

 

 

 

 

Carolina Conti

Carolina Conti é jornalista com especialização em Ciências da Religião pela PUC e autora do blog Altar Particular (https://blogaltarparticular.wordpress.com/). Atua como editora e coordenadora da área de Comunicação na Omnisciência.

Comments

comments