Escrito por Paramahansa Yogananda, mestre iogue indiano, o livro “No Santuário da Alma” traz ensinamentos que reúnem leis espirituais universais e são inspiradores a pessoas de diferentes crenças, uma vez que as estimulam no aprofundamento de suas práticas religiosas.

“Os muitos livros de Paramahansa Yogananda e a reunião de suas palestras e ensaios contêm uma pluralidade de passagens a respeito de como tornar a oração eficaz. Compilamos neste pequeno volume uma amostra representativa. Para os que estão começando uma vida espiritual interior, há aqui inspiração e clara orientação para esse início. Para os que já incorporaram um programa de meditação e preces à sua vida cotidiana, este roteiro propiciará uma nova concentração e um aprofundamento da relação que mantêm com o Divino”, disse Sri Daya Mata, no prefácio da obra.

Veja alguns trechos inspiradores da obra:

“O templo de Deus está dentro da sua alma. Entre nessa quietude e sente-se em meditação com a luz da intuição brilhando sobre o altar. Ali, não há desassossego, não há busca nem tensão. Venha para o silêncio da solitude”

“Quando minhas provações se tornam muito grandes, busco a compreensão primeiro em mim mesmo. Não ponho a culpa nas circunstâncias nem tento corrigir os demais. Primeiro eu me interiorizo. Tento limpar a cidadela do espírito para remover tudo o que obstrui a todo-poderosa e plenamente sábia expressão da alma. Essa é a maneira bem-sucedida de viver”

“Nada tema. Não odiar, oferecer amor a todos, sentir o amor de Deus, ver a presença Dele em todos e ter apenas um desejo – o desejo da Sua constante presença no templo da consciência –, esta é a maneira de viver neste mundo”

O que é Deus?

“Deus é Bem-aventurança Eterna. Seu ser é amor, sabedoria e alegria. Ele é tanto impessoal quanto pessoal e manifesta-se sob qualquer forma que Ele queira. Ele aparece a Seus santos na forma mais querida a cada um deles: um cristão vê Cristo, um hindu contempla Krishna ou a Mãe Divina, e assim por diante. Os devotos cuja adoração assume a forma impessoal tornam-se conscientes do Senhor como uma Luz infinita ou como o maravilhoso som de Om, o Verbo primordial, o Espírito Santo. A experiência mais elevada que o homem pode ter é sentir essa Bem-aventurança na qual todos os outros aspectos da Divindade – amor, sabedoria, imortalidade – estão plenamente contidos. Mas como posso lhes transmitir em palavras a natureza de Deus? Ele é inefável, indescritível. Somente na meditação profunda é que vocês conhecerão a essência singular Dele.”

“Muitas pessoas não gostam de pensar no Senhor como pessoal; acham que uma concepção antropomórfica é limitadora. Consideram-No como Espírito Impessoal, Onipotência, a Força Inteligente responsável pelo universo.

Se, porém, nosso Criador fosse impessoal, como é que Ele teria criado os seres humanos? Nós somos pessoais, temos individualidade. Pensamos, sentimos, queremos, e Deus nos deu não apenas o poder de apreciar os pensamentos e os sentimentos dos outros, mas de reagir a eles. Certamente, o Senhor não está desprovido do espírito de reciprocidade que anima Suas próprias criaturas. Quando permitirmos, nosso Pai Celestial poderá estabelecer e estabelecerá uma relação pessoal com cada um de nós.”

Vamos serenar o corpo e a mente para estabelecer uma conexão profunda com Deus por meio da meditação?

– procure uma posição confortável (1: sente-se em uma cadeira sem braços, mantenha a coluna ereta e afastada do encosto, o queixo paralelo ao chão, as mãos com as palmas voltadas para cima e acomodadas em cima das coxas, no encontro com o quadril – para que o corpo não deslize para a frente ou 2: sente-se com as pernas cruzadas no chão (postura de lótus), mantenha a coluna ereta, o queixo paralelo ao chão, as mãos com as palmas voltadas para cima e acomodadas em cima das coxas, no encontro com o quadril – para que o corpo não deslize para a frente);

– inspire por 20 segundos; segure o ar por mais 20 segundos e expire (pela boca) por 20 segundos;

*O tempo pode ser menor ou maior, mas é fundamental que seja igual durante as três etapas.

– Faça isso por seis vezes e, depois, aproveite para silenciar por alguns instantes. Você pode continuar a meditação se concentrando na própria respiração, observando o ar que entra e sai, sem interferir neste fluxo (algo muito mais fácil de ser feito depois do exercício 20x20x20). Em pouco tempo estará sentindo paz e tranquilidade.

Namastê!

Comments

comments